A nossa equipa

Se tiver interesse em colaborar connosco, contacte-nos.

Somos uma equipa multidisciplinar de arqueólogos subaquáticos, historiadores, engenheiros, biólogos, estudantes e voluntários, com vasta experiência na detecção, escavação e divulgação de naufrágios históricos.


Alexandre Monteiro

Arqueólogo Subaquático

Alexandre Monteiro é membro da Academia de Marinha e do ICOMOS, sendo ainda investigador do Instituto de Arqueologia e Paleociências (NOVA) bem como do Center for Maritime Archaeology and Conservation da Texas A&M University e da University of Western Australia.
Actualmente, desenvolve projectos em Lagos, Esposende, Alcácer do Sal e Grândola.
Internacionalmente, tem projectos a decorrer no Sultanato de Omã; em Moçambique, com a Universidade Eduardo Mondlane; e na Austrália, sobre a perda galera portuguesa "Correio da Ásia" em Ningaloo Reef.

Ana Patrícia Magalhães 

Arqueóloga

É licenciada em Arqueologia e História pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa (2001-2006). Durante 13 anos esteve inteiramente dedicada ao Projeto de Valorização das Ruínas Romanas de Troia, em todas as suas vertentes de investigação, conservação e valorização.
Presentemente, desenvolve o projeto de investigação - «O Complexo Portuário Romano do Baixo Vale do Sado. A Valorização de um Património Cultural Partilhado» - que obteve financiamento de uma bolsa da FCT (SFRH/BD/14522/2019), tendo em vista a obtenção do grau de doutoramento na Faculdade Letras da Universidade do Porto. É no âmbito desta investigação que colabora com o projeto "Um Mergulho na História", apoiando a identificação e interpretação da ocupação do período romano em torno do Baixo Vale do Sado e beneficiando de uma equipa alargada e altamente especializada para os levantamentos fotogramétricos dos sítios arqueológicos em estudo.

Filipe Castro

Arqueólogo Subaquático

Filipe Castro é licenciado em engenharia civil pelo Instituto Superior Téccnico (1984), fez MBA pela Universidade Católica Portuguesa (1993) e é doutorado em antropologia pela Texas A&M University, Texas, EUA, onde é professor catedrático de arqueologia náutica. Tem desenvolvido o seu trabalho em Portugal, Itália, Croácia, Brasil, Panamá e Puerto Rico.

As suas publicações podem ser consultadas em: https://tamu.academia.edu/FilipeCastro.

Flávio Biscaia

Investigador em Arqueologia Náutica

Flávio Biscaia é Piloto Comercial de Aviões, Patrão de Costa e pós-graduado em Arqueologia Subaquática.

Para além de investigar em arquivo, participa na caracterização do navio quinhentista de Belinho I e na análise dos naufrágios Tejo A e Tejo B.

É membro do Centro de Arqueologia Náutica do Alentejo Litoral e investigador do Laboratório de Arqueologia e Conservação do Património Subaquático do Instituto Politécnico de Tomar (LACPS - IPT).

Gonçalo Calado

Biólogo Marinho

É professor catedrático na Universidade Lusófona, em Lisboa, onde lecciona as disciplinas de Ecologia e Biologia Marinha e é director do Departamento de Ciências da Vida daquela instituição. Colaborou com a Fundação Calouste Gulbenkian na Iniciativa Oceanos que visou promover o conhecimento sobre serviços dos ecossistemas marinhos e capital natural azul. Exerceu também funções de assessor no gabinete do Secretário de Estado do Ambiente dos XVII e XVIII governos constitucionais, com o mar e a biodiversidade como assuntos a seu cargo. Foi membro do comité MAB - Man and Biosphere da UNESCO e é coordenador do programa de monitorização do projecto Ocean Revival, que visou o afundamento deliberado de quatro navios descomissionados da Armada Portuguesa para formar um recife artificial para fins turísticos. É doutorado em biologia pela Universidade de Santiago de Compostela, em Espanha, e instrutor de mergulho recreativo.

João Sousa

Investigador em Robótica

João Tasso de Figueiredo Borges de Sousa é docente no Departamento de Engenharia Electrotécnica e de Computadores da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto e é o responsável do Laboratório de Sistemas e Tecnologias Subaquáticas da mesma Faculdade (LSTS).

É doutorado pela Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto. Os seus interesses de investigação incidem sobre o controlo de redes de sistemas, optimização dinâmica, coordenação e controlo de veículos autónomos e redes de sensores. Projectou e desenvolveu veículos para operações em mar, no ar, e em auto-estradas automáticas no âmbito de projectos de investigação desenvolvidos em Portugal, nos Estados Unidos e ainda na Europa. É responsável pelos protocolos de cooperação com a Marinha Portuguesa, com a NASA-Ames, com as universidades da California em Berkeley e do Hawaii e com o Naval Undersea Warfare Center nos Estados Unidos da América e com a Norwegian University of Science and Technology. É o responsável da Universidade do Porto, desde a primeira edição em 2010, pela organização do exercício REP Atlântico em cooperação com a Marinha Portuguesa e com o CMRE-NATO.

Recebeu o Prémio nacional BES-Inovação na Fileira Oceânica, 2006, como responsável do LSTS pelo projecto do Light Autonomous Underwater Vehicle e recebeu o Prémio de Incentivo Pedagógico da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto em 2008.

É autor de cerca de 400 publicações, 50 das quais em revistas internacionais e livros.

Joaquim Parrinha

Instrutor de Mergulho

Joaquim Parrinha é instrutor de mergulho na Empresa Ecoalga - Agricultura Subaquática, docente na escola profissional de desenvolvimento rural de Grândola e Mestrando em Ambiente e Cidadania.

Licenciado em Agronomia, desde cedo desenvolve a sua actividade marítima na costa alentejana. É Patrão de Costa e Instrutor de mergulho CMAS M2; DSC instructor na SSI e em mais duas entidades certificadoras de mergulho recreativo internacionais.

No presente, desenvolve projectos de registo da biodiversidade subaquática na costa alentejana - promovendo a criação de áreas Marinhas Protegidas - e a criação de um produto regional - o "SUBWINE" - um vinho do mar estagiado em meio subaquático na costa Alentejana.

John Sexton

Instrutor de mergulho e fotógrafo subaquático

John Sexton é engenheiro mecânico reformado e instrutor de mergulho. Reside em Portugal há varios anos, país onde combina a paixão pela vela, pelo mergulho, pela fotografia subaquática e pela arqueologia náutica, área onde se iniciou nas escavações fluviais em San Marcos, Texas

Mergulha desde 1970, tendo aproximadamente 12 mil mergulhos, em ambientes tão diversos quanto o mergulho em caverna, em naufrágios, em lagos, oceanos e rios.

É membro do CANAL, sendo um premiado fotógrafo subaquático.

Paulo Costa

Historiador Naval

Tem desenvolvido investigação sobre naufrágios e acidentes marítimos em águas portuguesas durante o período contemporâneo, articulando a historiografia naval com a localização, identificação, inventariação e divulgação de património cultural subaquático.

Está também envolvido na prospecção do rio Sado, no âmbito dos trabalhos do CANAL, o Centro de Arqueologia Náutica do Alentejo Litoral.

Nasceu em Cascais em 1968.

Maria João Santos

Arqueóloga

Licenciada em Arqueologia pela Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, Maria João Santos foi investigadora no projecto europeu H2020 RIA iMareCulture (2016-2018) e assistente de investigação no Instituto de Arqueologia e Paleociências (NOVA/FCSH).
Actualmente desenvolve funções como assistente de gestão de projecto e arqueóloga no Projecto OPP nº466 "Um Mergulho na História".

Miguel Martins

Arqueólogo Subaquático

Miguel Martins tem desenvolvido trabalho em arqueologia náutica e subaquática na Direção-Geral do Património Cultural, na Universidade Autónoma de Lisboa e no Instituto de Arqueologia e Paleociências (NOVA/FCSH). Foi bolseiro de doutoramento no projecto europeu ForSEAdiscovery, na área da dendro arqueologia.

Entre 2011 e 2014 foi responsável pela investigação dos vestígios de uma escuna do século XIX e, em 2015, coordenou o registo digital tridimensional dos destroços do navio Belinho 1, afundado ao largo de Esposende (Portugal). 

Paulo Costa

Historiador Naval

Tem desenvolvido investigação sobre naufrágios e acidentes marítimos em águas portuguesas durante o período contemporâneo, articulando a historiografia naval com a localização, identificação, inventariação e divulgação de património cultural subaquático.

Está também envolvido na prospecção do rio Sado, no âmbito dos trabalhos do CANAL, o Centro de Arqueologia Náutica do Alentejo Litoral.

Sónia Bombico

Arqueóloga subaquática

Sónia Bombico é licenciada em História, variante de Arqueologia pela Universidade de Coimbra e Mestre em Gestão e Valorização do Património Histórico e Cultural pela Universidade de Évora. Especializou-se em Arqueologia Náutica Mediterrânea na Universidade de Barcelona e desenvolve investigação no âmbito da salvaguarda e da valorização do património cultural subaquático.

É doutorada em História pela Universidade de Évora e investigadora do Centro Interdisciplinar de História, Culturas e Sociedades (CIDEHUS - Universidade de Évora).

Dedica-se ao estudo da economia marítima romana e à investigação sobre a produção e transporte de produtos alimentares, através da análise de sítios de naufrágio e das rotas navegação em época romana.

Susana Medina

Museóloga

Susana Medina é responsável pelo Museu da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto e docente do Mestrado em Museologia da Faculdade de Letras da Universidade do Porto (FLUP).
É licenciada em História (variante Arte), mestre em Museologia pela FLUP e pós-graduada em European Cultural Planning pela Universidade De Montfort (Leicester, Reino Unido).
Integrou equipas de projeto de âmbito nacional e internacional, como o da criação do Serviço Educativo da Fundação de Serralves; Porto 2001 - Capital Europeia da Cultura; Museu Digital da U. Porto; e MU.SA - Museum Sector Alliance, integrada na equipa da U. Porto. É membro do Grupo de Trabalho de Sistemas de Informação em Museus da Associação Portuguesa de Bibliotecários, Arquivistas e Profissionais da Informação e da Rede Portuguesa de Ciência Cidadã (Grupo de Trabalho de Comunicação).

A sua atividade profissional, académica e interesses de investigação incidem sobre património científico e coleções universitárias; comunicação de ciência e sociedade; e gestão da informação e sistemas de informação em museus.

Tânia Manuel Casimiro

Arqueóloga

Tânia Casimiro é arqueóloga com doutoramento em História pela Universidade Nova de Lisboa. É também investigadora no Instituto de História Contemporânea e no Instituto de Arqueologia e Paleociências ambos na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da NOVA.
A sua grande especialização é a cultura material dos últimos 800 anos e, sobretudo, no que ela nos pode contar sobre as pessoas, o seu passado, e passado dos seus quotidianos.

Desenvolve projectos não só em diversos países europeus - Inglaterra, Espanha, Irlanda, Suécia e Holanda - mas também em Cabo Verde, Canadá e Omã, entre outros.